ana cláudia almeida

1993, Rio de Janeiro/RJ

Sua investigação tem como base as linguagens da pintura e do desenho, tensionando elementos como tempo, ação e paisagem imbricados na construção de espaços para a subjetividade. Entende as superfícies como contadoras de histórias das suas próprias vidas e de recortes de tempo específicos. A partir das ideias de natureza, artificialidade e normatividade cria distintos desdobramentos visuais que compõem seus sistemas plásticos.

 

Formada em Desenho Industrial com graduação sanduíche pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro e Virginia Commonwealth University. Co-fundadora do coletivo Trovoa. Participou das residências Pivô Pesquisa, Valongo Festival Internacional e C.M.A. Hélio Oiticica. Foi indicada ao Prêmio Pipa em 2020 e finalista do Prêmio EDP das Artes em 2018. Já expôs em diversas instituições como: Fundação de Arte de Niterói, e dentre as principais coletivas das quais participou estão instituições como MAM-RJ, Instituto Tomie Ohtake, Paço Imperial do Rio de Janeiro, Museu da República, Galpão Bela Maré e Solar do Abacaxis. Ainda em 2021 a artista tem um dos seus trabalhos em grande formato inserido na acervo do Museu de Arte do Rio (MAR - RJ), apresenta Buracos, Crateras e Abraços, exposição individual na Quadra, participa da coletiva Electric Dreams na Galeria Nara Roesler, com curadoria de Raphael Fonseca e assina um projeto site specific premiado pelo edital Piscina no espaço Auroras (SP) ao lado da artista Carla Santana.

Captura de Tela 2021-02-18 às 15.31.23.

obras da artista